21/05/2010

Entrevista reveladora... mas nem tanto

A entrevista dada à Rádio Bandeirantes pelo então secretário de Habitação, Elton Santafé Zacarias, que agora assumiu a Secretaria de Infraestrutura Urbana é reveladora. Embora ele tenha sido pouco questionado pelo entrevistador - que até desconhecia o funcionamento de uma Operação Urbana e insistiu em falar em contrapartida das empresas vencedoras de licitação, o que não existe - deixou transparecer o que há realmente a se temer quando se fala no projeto previsto para ser implantado no Jabaquara.

Mais: talvez explique até porque a Prefeitura tem usado duas terminologias diferentes quando trata dele. Em entrevistas e na agenda de metas do prefeito, assim como no site, fala em Operação Urbana Água Espraiada. Mas, quando fala nas desapropriações para o túnel, usa o termo "prolongamento da Avenida Jornalista Roberto Marinho - construção de túneis".

O secretário, inicialmente, fala em manter as famílias removidas de favelas no bairro. Depois, diz que há garantia de apenas quatro mil unidades locais, as demais são "parceria com a CDHU", sem garantia de localização, portanto.

O mais grave, entretanto, vem depois.

Ele começa com o lado bom da história: explica que uma operação Urbana parte do princípio que o bairro deve ser beneficiado, como contrapartida pelas vantagens oferecidas à iniciativa privada (e não aos vencedores da licitação, como aponta o radialista). Diz que as famílias de classe média e média alta serão beneficiadas pela construção da via parque de três quilômetros (obra que trará muitas desapropriações, aliás, na região da Avenida Pedro Bueno), com "melhoria da qualidade ambiental, valorização dos imóveis".

Aí, quando é questionado sobre o prazo, mostra a grande contradição (aos seis minutos da entrevista). "Olha, o ideal é que ficasse pronta até final de 2012, início de 2013". E então, vem a grande revelação, em pouquíssimas palavras: "pelo menos a parte dos túneis".

Como o S.Paulo Zona Sul vem apontando, o grande risco desse mega projeto é que ele na verdade não irá beneficiar parte alguma do Jabaquara. O bairro atravessará anos de transtornos apenas para que uma obra viária, que beneficiará somente moradores de outras regiões da cidade, seja construída. Lembrem-se que o túnel não terá ligações diretas com a região porque ele é uma ligação viária de longo percurso.

E o secretário continua: "A parte de atendimento habitacional com a via parque, eu acho que é um projeto mais demorado. Os projetos de urbanização, eles são feitos em conjunto com a população (pausa nossa: como assim?), então são projetos mais complexos. Tem que construir apartamento, tirar a população de lá, levar para um aluguel, depois construir o apartamento definitivo, aí eu acho que leva uns quatro anos..."

O compromisso, então, é com a obra viária? Faltou essa pergunta, faltou essa resposta.

Em uma próxima postagem, vamos discutir o projeto da via parque. Lindíssimo, valorizaria muito a região. Mas, quem olha hoje para o piscinão ou para toda a extensão da Avenida Jornalista Roberto Marinho se questiona: será que a Prefeitura tem mesmo a intenção de deixar essa região tão bonita?

7 comentários:

Maria Helena Tozzi disse...

Bom dia
Sou moradora da região onde terminará o tunel (Av. Barro Branco), fico muito indignada em saber que por causa de um tunel que não trará beneficio nenhum para a região do Jabaquara, aproximadamente 415 casas (são aproximadamente 2.000 pessoas - 05 pessoas por casa) serão expulsas de seus lares.
Esses numeros são fonte do EIA/RIMA da SVMA que efetuou uma contagem áerea para elaboração do mesmo.
Onde estão nossos politicos que não estão do nosso lado?

EDNA disse...

Estou muito indignada com tudo isso que vem acontecendo com os moradores da região do Jabaquara. Ainda dizem que essa obra irá trazer benefícios para os moradores da região. Creio eu que os benefícios considerados devem ser desapropriação, barulho, transtorno no transito e...............................!!!!!!!

Anônimo disse...

Devemos ficar atentos pois algumas obras foram autorizadas recentemente pela prefeitura no final da Avenida Pedro Bueno e se houver desapropriação tais construções serão pagas com o dinheiro do contribuinte.O ministério público deverá ficar atento a tais situações. Não tem jeito nada sai perfeito nessa terra...

Ramphastus - Barra do Una disse...

Qualquer obra que ajude a tirar famílias de uma situação indigna de moradia tem meu apoio.
Os filhos não precisam acompanhar a situação de miséria dos pais, morando em favelas, marginais ao desenvolvimento urbano somente porque os mais velhos não concordam com isto ou aquilo do projeto desenvolvimentista. Deixemos que o urbanismo avance, e ao menos para eles haverá uma espectativa de integração ao mundo civilizado.
Devemos lutar contra nosso pensamento egoísta e dirigir nossos esforços para a melhora da coletividade.

Um parque é muito melhor que uma avenida.

Vamos lutar pelo parque. Para que seja realmente implantado o mais breve possível.
Quero muito ver, ainda nessa passagem pelo mundo dos vivos, as crianças do bairo soltando pipas num parque, à beira do córrego espraiada. Quem sabe conseguiremos fazer um piquenique no gramado onde antes foi uma favela.
Quem sabe os filhos dos ex-favelados possam apontar o dedo para o parque e dizer para os seus filhos: "Foi alí que seu pai nasceu, mas antes era uma favela..."

Editor disse...

Acho muito bom o projeto, vai valorizar muito a região.

Daniel disse...

Ramphastus - Barra do Una, não sei em que mundo você vive. Eles vão construir esse tunel e o parque, se sair, vai levar uns 10 anos... Sou morador e vou ser retirado da minha casa, não vou receber o devido valor. Eu vou morar aonde? Vou ter que pagar uma segunda casa? Já pago por uma saúde pública que nao tem condicoes de uso, e tenho que pagar particular. Pago por uma educação pública que não é adequada entao tenho que pagar educação particular. Pago por segurança publica ineficiente entao tenho que pagar particular... Até quando vou ter que pagar duas vezes tudo??
No projeto e nesse orçamento que a prefeitura nem sequer tem a verba e nao sabe explicar de onde virá essa verba, não está incluido a despesa com as desapropriações. Agora me diga, que politica de melhorias no bairro é essa?

Anônimo disse...

Sou moradora da região há 45 anos, qdo mei pai comprou o terreno só tinha o aeroporto e mais uma casa. Como os imóveis são antigos, o valor venal dos mesmos é baixo. Infelizmente muitas famílias vizinhas serão desapropriadas, quer saber se a prefeitura paragrá o valor real do imóvel ou se vai estipular o preço pelo valor venal. Como sempre, tudo é uma vergonha nesse país. Muitas cidades que crescem sem planejamento precisam passar por processos de reubarnização. Graças a Deus minha casa "parece" que não está dentro do trecho. Se estivesse e eu tivesse que sair do bairro é lógico que ficaria muito triste pq minha casa traz grandes lembranças da família. Me solidarizo com aqueles que serão desapropriados e o mínimo que podemos lutar é para que recebam a quantia justa dos seus imóveis e acho também que deveriam receber um percentual a mais de indenização. Se vc sair da sua casa mas conseguir comprar outra no mesmo bairro similar a sua já ajuda, não resolve, mas ajuda.

Vídeo no youtube