04/05/2010

Vídeo no youtube mostra projeto antigo

Foi postado no dia 23 de março este vídeo aí embaixo, no youtube - uma apresentação oficial, feita pela empresa para a Prefeitura. Só que ele fala em túnel de 3,8 km - o projeto atual, que desemboca na Vila do Encontro, teria apenas 2,8 km. Ainda parece se referir ao projeto antigo mesmo, por apresentar a saída originalmente prevista, no Jardim Lourdes, onde há uma área livre bem maior que na atual saída... Ali não seriam desapropriadas menos famílias?

9 comentários:

Não Desapropriação ! disse...

Pois é , concordo plenamente, quando questionamos se o projeto não poderia voltar ao trajeto inicial, foi nos dito que o solo era rochoso , e iria gastar muito mais dinheiro, mas apresentar esse laudo comprovando até agora nada.

Querem economizar dinheiro as custas de nós moradores que nada temos haver com isso .

Simplismente um absurdo!!!

Lutaremos até o fim para impedir isso.

Obrigada mais uma vez pelo apoio.

Jornal SP Zona Sul Desde 17/07/1960 disse...

Na verdade, o projeto original nem era esse e sim o que previa uma avenida em superfície, que seria o projeto mais econômico de todos...

Walter - Jabaquara disse...

Concordo plenamente!!! O projeto original previa uma AVENIDA em superfície até a Rodovia dos Imigrantes, passando pelo bairro de Americanópolis e ali sim, a construção de um Tunel de poucos metros, passando por debaixo da linha de tróleibus que liga o JABAQUARA AO ABC.

Essa história de Tunel de 2,8 Km é pura invenção da EMURB e do Prefeito Kassab, e esperamos que isso nunca saia do papel. Um absurdo essa mudança de projeto. Os moradores tem que lutar pelos seus direitos. Walter/ Jabaquara.

Neusa/Cidade Vargas disse...

Concordo plenamente! Se querem nos tirar de nossas casas, que tenham a dignidade de pagar o preço do mercado, afinal de contas
somos trabalhadores e obtivemos nossos imóveis através de compra. Se o carente tem seus direitos garantidos, porque a Defensoria Pública também não pode agir em nossa defesa? Somos parte desta sociedade, precisamos nos unir porque em nossa união os maus designios determinados à nós, serão impedidos. Se essa contrução é para melhoria da sociedade, estarmos trabalhando e termos nossa casa para morar também contribui para o bem da sociedade.Menos moradores de rua circulando.

Anônimo disse...

Se não me engano, pela lei de 2001, a prefeitura é obrigada a pagar, na desapropriação, o valor do terreno pelo valor de vendas dos CEPACS, alguém pode confirmar ?? isto além do valor do imóvel.

Jornal SP Zona Sul Desde 17/07/1960 disse...

Não, o que a lei diz é que os proprietários de imóveis a serem desapropriados podem optar por receber o valor em CEPACs. No entanto, como as casas na Vila Fachini estão fora do perímetro da Lei original, e foram incluídas como de interesse público por outro decreto, talvez a Prefeitura não abra essa possibiidade.

Fellipe (Cidade Vargas) disse...

Senhores,

Consultei DESAP sobre os limites grafados no Decreto 51.037/2009, e nas plantas oficiais consta ainda limite referente ao traçado antigo, ou seja, oficialmente a área desapropriada ainda é no Jardim Lourdes.
Consultei a Emurb, e eles me informaram que o traçado ainda está em estudo, sendo assim, creio que este é o momento de nos articularmos para questionarmos tecnicamente este novo traçado, pois prevê a desapropriação de inúmeras casas e imóveis em um bairro consolidado, além de, increditavelmente, vários prédios, o que é algo inaceitável em qualquer projeto urbano sério.
Fora isto, a planta com o limite de desapropriação mostra uma área bem maior que a necessária para implantação do desemboque e alças de acesso. O que pretendem fazer no restante da área? Deixar vazio para ocuparem com favelas?
E quanto às famílias de baixa renda que vivem em áreas invadidas nos locais atingidos, está previsto atendimento habitacional ou vão remover para incentivar a formação de novas ocupações irregulares?
Gostaria de saber quais providências estão sendo tomadas efetivamente, para que eu possa contribuir.

Jornal SP Zona Sul Desde 17/07/1960 disse...

Fellipe, é o seguinte: a área delimitada pelo decreto de novembro indica a área passível de desapropriação, o que quer dizer que qualquer imóvel ali pode ser desapropriado. Mas, a Prefeitura só publicou esse decreto, com tal área imensa, porque queria acrescentar essa região ao projeto original. Então, isso explica porque há até prédios na área. Mas, só serão desapropriados, dentro dessa região imensa, os imóveis necessários para se construirem poços de ventilação e para entrada e saída dos túneis - é nessas regiões, aliás, que vai haver mais desapropriações, já que são várias alças para ligar os túneis com as pistas já existentes. Quanto às famílias, as que vivem em favelas estão sendo cadastradas para integrarem programas habitacionais e as que vivem em imóveis próprios receberão pela desapropriação.

Eduardo Mori disse...

Bom projeto, que seja feito o mais breve possível. Ainda falta no vídeo a linha 17 - ouro do Metrô.

A remoção das favelas será bom para a região.

Vídeo no youtube