06/05/2010

Confusões

Na edição de amanhã, o jornal São Paulo Zona Sul publica matéria mostrando o desencontro de informações que vem cercando a Operação Urbana Água Espraiada.

Vale destacar que qualquer obra pública de envergadura gera desapropriações e que elas sempre deixarão famílias inteiras surpresas ou indignadas. Sem falar nos transtornos que podem gerar.

Se não fossem as famílias da Vila Fachini, as atingidas, seriam do Jardim Lourdes. Todas têm histórias a zelar, todas têm motivos para não aceitar com facilidade a ideia de ter de perder suas casas.

Por isso mesmo, transparência e respeito durante o processo que antecede as obras são o mínimo que se pode exigir. Valores compatíveis ao mercado também, mas isso a Prefeitura tem garantido que não será diferente - se alguma família considerar o valor abaixo do praticado, pode recorrer à justiça. Enquanto a decisão não sai - o processo é rápido, ao contrário do que se imagina - a Prefeitura já deposita em juízo o valor inicialmente proposto.

O vídeo postado ontem mostra apenas parte dessa confusão. A carta enviada pela Emurb essa semana a alguns moradores e que está no blog www.tragediasocialjabaquara.blogspot.com é outro método bastante agressivo de se relacionar com famílias que já estão abaladas pela notícia da desapropriação. Em especial se relacionarmos essas cartas com o histórico de confusões da obra.

A matéria poderá ser lida a partir de meia-noite de hoje, pelo site: www.jornalzonasul.com.br. E a partir de amanhã, postaremos algumas outras opiniões sobre as mudanças de projeto, o futuro da região e o histórico da Operação Urbana.

3 comentários:

Walter disse...

Concordo plenamento com todos vocês da região da Cidade Vargas, Vila do Encontro, Vila Fachini. Sou morador da Vila Campestre, próximo do Hospital Municipal do Jabaquara, (Dr. Arthur Saboya) onde a obra iria passar originalmente sem atingir a minha casa, mas que iria remover muitas favelas e áreas invadidas, mas com a mudança do projeto para Tunel, todos os moradores aqui da nossa região ficaram desanimados com as melhorias que viriam.

Esse Prefeito e a EMURB são um bando de incompetentes mesmo. Vocês dos bairros que estão sendo sondados para construção do Tunel, se unam contra essa obra que não deve ser feita e nem sair do papel. Ela tinha que voltar a ser feita pelo projeto original, avenida por superfície e nada de Tunel coisa nenhuma.

LUTEM, LUTEM, se UNAM contras esses impostores da Prefeitura.

Walter - Vila Campestre

Jornal SP Zona Sul Desde 17/07/1960 disse...

Walter, você deve ficar atento ao projeto da Linha Ouro do metrô (17), que tem trajeto aí pelo seu bairro. O traçado originalmente previsto prevê que a nova linha (que é em elevado, ou seja, metrô sobre uma pista suspensa, como um viaduto), passa ao longo da Av. Francisco de Paula Quintanilha Ribeiro, atravessa a Vila Campestre e continua ao longo do tal parque que deve ser construído pela Operação Água Espraiada.

Roseli disse...

Aqui na Vila Santa Catarina, estamos nos mobilizando contra este mega ptojeto eleitoreiro.A rua prof.francisco emydio da fonseca telles vai ser consumida por este parque. É UMA VIOLENCIA CONTRA A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA.

Vídeo no youtube